Bia, Lu e Mara: o assédio contra as assistentes virtuais

Faz algum tempo que o assédio saiu apenas do mundo real e foi parar no mundo virtual. 

Hoje em dia, diversas marcas contam com a ajuda de assistentes virtuais para auxiliar os consumidores e também como estratégia para humanizar as marcas. E você sabe o que a Lu do Magalu, a Mara da Amaro e a Bia do Bradesco têm em comum? Todas já sofreram assédio!

Diante deste novo momento virtual, empresas como Bradesco, Magazine Luiza, Vivo e Natura, se uniram em uma campanha com a Unesco “Hey, atualize minha voz”, para conter o assédio nas redes sociais e combater as mensagens machistas, agressivas e sexistas que são feitas para as assistentes virtuais.

Recentemente, o Bradesco fez uma campanha anunciando que a Bia, sua assistente virtual, responderia todos os xingamentos e propostas indecentes de maneira firme. Confira o vídeo que já registrou mais de 160 milhões de visualizações no youtube:

Só em 2020 foram registradas 95 mil tentativas de assédio. De acordo com a plataforma Stilingue, especializada no monitoramento das redes sociais, nos últimos anos aconteceu um aumento de 40% nas menções de assédio pelas redes sociais.

Infelizmente, no último mês, o Curso Boto Fé e a nossa assistente virtual, entrou para as estatísticas. Nas últimas semanas, nossa assistente virtual recebeu fotos com nudez. As medidas cabíveis já estão sendo tomadas, e com isso, queremos lembrar: atitudes machistas não tem graça e não passarão ilesas – no mundo virtual ou presencial.

E, por falar nisso, você sabia que o Curso Boto Fé possui um módulo especial para a proteção de mulheres e meninas? Este módulo aborda questões sobre como proteger o público feminino que se sente em risco nos ambientes em que há venda de bebidas alcoólicas, como bares, restaurantes, shows e eventos. O conteúdo foi elaborado para ajudar os funcionários dos estabelecimentos – homens e mulheres – a identificarem situações de importunação sexual, violência, intimidação e outras formas de desrespeito que possam colocar mulheres em perigo. Através de dicas práticas, o curso vai ensinar como abordar os agressores e como apoiar as vítimas de forma discreta e segura, além de divulgar os canais de denúncia e rede de proteção à mulher para os casos mais graves. 

Faça o curso e descubra como criar ambientes acolhedores e seguros para todas e todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *